quarta-feira, 22 de abril de 2015

Governo pretende terceirizar contratação de professores federais via Organização Social

O presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Jorge Almeida Guimarães, declarou recentemente, em um debate sobre educação superior, que a Capes, o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e o Ministério da Educação (MEC) pretendem criar uma Organização Social (OS) para contratar docentes para as Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) por meio da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). 

Valendo-se da argumentação falaciosa de que o Regime Jurídico Único (RJU) contrata professores “por 30 anos e não manda ninguém embora”, e de que a OS garantiria e facilitaria a contratação de grandes pesquisadores estrangeiros, a Capes propõe, na verdade, a terceirização do trabalho dos professores das Ifes. 

Paulo Rizzo, presidente do ANDES-SN, critica as declarações do representante da Capes.“Essa proposta agride o processo democrático de seleção de professores por meio de concursos públicos. Também agride a autonomia universitária, pois tira das mãos da universidade o controle do processo de seleção de seus docentes”, ressalta.
Respondendo à afirmação de Jorge Guimarães de que os concursos públicos para professores são “um jogo de cartas marcadas”, Paulo Rizzo defende novamente a autonomia universitária. “Na verdade eles querem, via OS, fazer um jogo de cartas marcadas. Ao invés do concurso com regras claras, definidas por cada instituição, com pontos e bancas definidos pelos colegiados de departamento, com direito de recursos aos candidatos, querem a escolha pela gerência de uma OS. Quem disse que a gerência não será corporativista? Quem escolherá os melhores quadros?”, questiona o presidente do ANDES-SN.



Proposta de Terceirização
A proposta de terceirização veio à tona em um evento recente que contou com a participação de Jorge Guimarães e do ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Clelio Campolina, ex-reitor da Universidade Federal de Minas Gerais, o Simpósio Internacional sobre Excelência no Ensino Superior promovido pela Academia Brasileira de Ciências (ABC), no Rio de Janeiro. Na segunda-feira (22), Guimarães afirmou que Capes, MEC e MCTI estão planejando a criação de uma OS para gerir a contratação de docentes. Segundo o presidente da Capes, os dois ministérios já, inclusive, aprovaram a criação da OS.

"O ministro [da Educação, José Henrique] Paim e o ministro [da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clelio] Campolina estão nos autorizando a fazer uma organização social para contratar, saindo do modelo clássico que demora e que nem sempre acerta muito", disse Guimarães, segundo matéria publicada pela Agência Brasil. A medida, segundo ele, teve bons resultados no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), que é uma OS, e recebe recursos reajustados anualmente para pagar profissionais vindos de fora.

Para Guimarães, a proposta de terceirização pode atrair docentes estrangeiros às universidades brasileiras – o que internacionalizaria as instituições. Guimarães também afirma que os exemplos de autarquias que abriram mão da contratação de servidores por meio do RJU são positivos, já que o sistema de contratação vigente “não está funcionando”.

Paulo Rizzo aponta que o presidente da Capes parece “esquecer” que a contratação de professores estrangeiros já é, além de constitucional, fato comum e corriqueiro nas universidades federais, tornando desnecessária a criação de uma OS para esse fim. “Na verdade, temos que oferecer uma carreira e uma política salarial atrativas para contratar os docentes, sejam brasileiros ou estrangeiros, por meio do Regime Jurídico Único”, reforça. 

Fonte: http://portal.andes.org.br/andes/print-ultimas-noticias.andes?id=7054

terça-feira, 7 de abril de 2015

Reunião das mães e pais estudantes da UFMG

Evento criado para planejar um ato na reitoria da UFMG exigindo respostas em relação às reivindicações levantadas na reunião da Praça de Serviços (que debateu a falta de estrutura da Universidade para receber as mães e pais estudantes com seus filhos) que foram apresentadas em um documento a PRAE na ultima reunião do seu conselho dia 26/03 e entregue em mãos á Benigna Maria Pró-Reitora de extensão da UFMG hoje durante a abertura da exposição Sentidos do Nascer no Parque Municipal. A Pró-Reitora assumiu publicamente o compromisso de encaminhar o documento ao Reitor e nos dar retorno sobre as reivindicações.
Até o momento a reitoria não deu resposta e não apresentou nenhuma proposta de melhoria das politias de permanência e assistência estudantil nem das condições estruturais e regimentais da Universidade.

Faremos uma reunião dia 09/04 as 17:00 na praça de serviços, logo após a reunião do conselho da PRAE, para saber se haverá retorno das nossas reivindicações apresentadas na ultima reunião do conselho e definir nossos próximos passos.
A participação de todos é extremamente importante.
Esperamos vocês lá.

https://www.facebook.com/events/327207984155297/

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Construção da chapa de Unidade da Esquerda-Eleições DCE UFMG



SAIU A UNIDADE!!! Uma chapa de toda a esquerda unificada, independente da reitoria e do governo.
Esse grupo tem o objetivo de ser mais um espaço de discussão e deliberação para construção do programa/propostas da chapa.Um espaço amplo e democrático, aberto a todos os estudantes que quiserem somar e contribuir nesse processo.
A primeira reunião de elaboração de programa eleitoral/ propostas será na quinta dia 02/04 as 9 horas na praça de serviços.
Lembrando que a inscrição de chapas é amanhã e precisamos com urgência encaminhar os nomes e números de matricula dos integrantes e apoiadores e também definir o nome da chapa .

Renata Regina Rodrigues
UJC/UFMG

Participe do Grupo de Construção da chapa de Unidade da Esquerda-Eleições DCE UFMG
 https://www.facebook.com/groups/838806652822162/838962242806603/?notif_t=group_activity